Ronco e apneia do sono é uma doença?

problemas-de-ronco

Ronco e apneia do sono é uma doença?

O que você precisa saber?

A apneia do sono é uma doença crônica grave, evolutiva caracterizado pela obstrução parcial ou total das vias, causando paradas repetidas e temporárias da respiração enquanto a pessoa dorme.

Entende-se por apneia a interrupção completa do fluxo de ar através do nariz ou da boca por um período de pelo menos 10 segundos nos adultos. Já a hipopneia é a redução de 30% a 50% do fluxo de ar.

A apneia pode ocorrer por vários fatores: os músculos da garganta e língua relaxam mais do que o normal, as amídalas e adenóides são grandes, a pessoa está acima do peso (o excesso de tecido mole na garganta dificulta mantê-la aberta), ou o formato da cabeça e pescoço resulta em menor espaço para passagem de ar na boca e garganta.}

Entre os principais sintomas da apneia estão ronco e sonolência diurna, embora muitos pacientes não os percebam. A sonolência diurna é explicada pelas interrupções do sono causadas pela falta de oxigênio.

Outros sintomas da apneia são: acordar com sensação de sufocamento, ofegante, com dor no peito ou desconforto, confuso ou com dor de cabeça; sentir boca seca ou dor de garganta pela manhã; alterações na personalidade; dificuldade de concentração; impotência sexual; e irritabilidade.

A apneia do sono aumenta a probabilidade do paciente desenvolver doenças potencialmente letais. Está associada ao aumento do risco de hipertensão, insuficiência e arritmia cardíacas, derrame e diabetes.

A apneia obstrutiva do sono acomete aproximadamente 30% da população adulta mundial. A maior parte dos pacientes, entre 85% e 90%, convive com a doença sem receber o diagnóstico e continua sem tratamento.

Nem todo mundo que ronca tem apneia do sono, sendo que ele é apenas um dos sintomas da doença. O diagnóstico médico é feito por meio de um exame chamado de polissonografia, que é o monitoramento do sono por equipamentos eletrônicos. O exame clínico é indicado para que seja avaliada a condição do trato respiratório do paciente e deve ser feito por um médico com especialização na área.

Mudanças nos hábitos de vida podem contribuir muito com a melhora da apneia do sono. Perder peso, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, dormir de lado, evitar consumo de comidas pesadas antes de dormir, evitar o fumo 4 horas antes de deitar e elevar a cabeceira da cama entre 15cm e 20cm são algumas medidas simples que podem evitar problemas futuros.

A apneia é um problema médico grave, com probabilidade de alterar a vida da pessoa e que pode contribuir para certos transtornos que podem colocar a vida em perigo, mas, que por sua vez, pode ser identificada facilmente e tratada. Com o tratamento, a respiração adquire um ritmo regular, os roncos cessam, um sono tranquilo é estabelecido e a qualidade de vida melhora.

Marque uma consulta com um de nossos especialistas e faça uma avaliação. Não hesite, já é hora de você dormir bem e acordar para uma vida saudável.

 

PREVENÇÃO EM ODONTOLOGIA

Prevenção em odontologia

Prevenção em Odontologia

A prevenção em odontologia é sem dúvida alguma a chave para a saúde bucal e para a redução do orçamento familiar

PREVENÇÃO EM ODONTOLOGIA

com gastos odontológicos, por isso que a SIGA ODONTOLOGIA trata esta área como uma especialidade sua. É incrível o que se pode economizar em dinheiro e em possíveis sofrimentos quando se faz um esforço e se observa alguns princípios básicos.

  • Higienize a boca do bebê desde cedo. Hábitos saudáveis aprendidos nos primeiros meses de vida serão levados para a vida adulta. Faça a limpeza da boca com uma gaze ou a ponta de uma fralda embebida em água filtrada e com o aparecimento do primeiro dente na boca, comece a fazer a escovação com uma escova de cerdas macias e arredondadas e cabeça pequena.
  • No início, utilize cremes dentais sem flúor e com sabores agradáveis e torne o momento o mais divertido e interessante possível, ensinando-os sobre a importância da higiene e deixando-os realizar a escovação tão logo eles manifestem esse desejo. Com isso as crianças vão ganhando destreza e habilidade para escovar os dentes sozinhos.
  • A frequência que se devem escovar os dentes, na realidade, deve acompanhar a frequência de refeições que se realiza no dia-a-dia, e devemos entender que “lanchinhos”, principalmente com a presença de doces, devem ser considerados refeições que requerem uma higienização logo após. O segredo está em não alimentar as bactérias que possuímos em nosso meio bucal com restos alimentares que ficam depois de qualquer refeição. Portanto, comeu, escove!
  • Acompanhar a escovação dos filhos, principalmente a que precede a hora de dormir é uma ótima pedida, pois é o período em que ocorre uma diminuição na produção de saliva e os dentes ficam mais susceptíveis aos ataques ácidos.
  • O uso do fio dental é muito importante tão logo à criança possa manipulá-lo, e é lógico que o bom exemplo e uma ajudinha no princípio são essenciais. Se vocês, papai e mamãe, não usam como então irão cobrar de seus filhos?
  • Existem regras sim para a correta forma de se usar a escova e o fio dental. Se você ainda não obteve estas informações ou ainda não as memorizou, o correto é marcar uma consulta com um dentista especializado e levar toda a família. Livros e artigos podem mostrar gravuras e orientar, mas nunca substituirão ensinamentos que são passados ao vivo e a cores.
  • Visite o dentista regularmente e não esqueça de levar as crianças até que elas apresentem uma boa higienização com uma boa condição clínica. Problemas de ordem dentária, ortopédica e funcional podem ser detectadas logo cedo pelo odontopediatra ou ortodontista, e isto pode significar um ganho inimaginável em tempo, dinheiro e para o sucesso do tratamento.
  • Tenha pulso firme e não compactue com hábitos que podem acarretar consequências desastrosas, como o bico e a mamadeira em excesso e o hábito de chupar o dedo após os quatro anos de idade. Amar realmente o filho significa também impor limites e buscar ajuda quando necessário. Uma grade palatina, por exemplo, que é um aparelho muito simples, quando utilizado na hora certa, pode corrigir problemas que somente uma cirurgia extensa poderia corrigir no futuro.

Procure um de nossos especialistas e saiba mais sobre os programas de prevenção que a SIGA realiza com intuito de incentivar os pais e filhos! São premiações e bonificações que irão fazer muito mais diferença no futuro do seu filho e do seu bolso.

Dor orofacial (Problemas na A.T.M)

Dor orofacial

Disfunção temporomandibular e dor orofacial é uma área recente da odontologia, que trata das alterações patológicas da articulação temporomandibular (ATM), e das dores do processo estomatognático e faciais. As DTMs (disfunções temporomandibulares) são alterações patológicas relacionadas à articulação temporomandibular (ATM), que articula o crânio e a mandíbula podendo ser tanto da parte muscular mastigatória, ligamentar e nervosa, na região buço-facial ou cervical. Estas articulações funcionam em dupla. Pode ter como consequência dores de cabeça ou pescoço, ruídos articulares (estalos), zumbidos ou plenitude no ouvido, limitação de abertura bucal, desgaste nos dentes e dificuldades na mastigação. De etiologia ainda não definida, acredita-se que o stress seja o principal desencadeante, além de hábitos deletérios de bruxismo, trauma na região da cabeça e pescoço, má-postura e má-oclusão.

Dor orofacial (Problemas na A.T.M)

O que é ATM?

É a articulação temporomandibular, uma articulação que liga o maxilar ao crânio. A DATM é a disfunção da articulação temporo mandibular que pode, por exemplo, não estar funcionando adequadamente. Essa articulação é uma das mais complexas do corpo humano, responsável por mover a mandíbula para frente, para trás e para os lados. Qualquer problema que impeça a função ou o adequado funcionamento deste complexo sistema de músculos, de ligamentos, de discos e de ossos é chamado de D-ATM. Geralmente, a D-ATM dá a sensação ao indivíduo acometido de que sua mandíbula está saltando para fora, fazendo um estalo e até travando por um instante. A causa exata desta disfunção, em geral, é impossível de ser identificada.

Quais os sintomas da D-ATM?

Disfunções de ATM apresentam muitos sinais e sintomas. É difícil saber com certeza se você tem D-ATM, porque um destes sintomas ou todos eles podem também estar presentes em outros problemas. Seu dentista poderá ajudá-lo a fazer um diagnóstico preciso, através de uma história médica e dentária completa, um exame clínico e de radiografias adequadas.

Alguns dos sintomas mais comuns de D-ATM são:

  • Dores de cabeça (freqüentemente parecidas com enxaquecas), dores de ouvido, dor e pressão atrás dos olhos;
  • Um “clique” ou sensação de desencaixe ao abrir ou fechar a boca;
  • Dor ao bocejar, ao abrir muito a boca ou ao mastigar;
  • Mandíbulas que “ficam presas”, travam ou saem do lugar;
  • Flacidez dos músculos da mandíbula;
  • Uma brusca mudança no modo em que os dentes superiores e inferiores se encaixam.

Como tratar a D-ATM?

Embora não exista uma cura para a D-ATM, existem diversos tratamentos que você pode seguir para diminuir consideravelmente os sintomas. Seu dentista pode recomendar um ou mais dos seguintes tratamentos:

  • Tentar eliminar a dor e o espasmo muscular através da aplicação de calor úmido ou através de medicamentos como relaxante muscular, aspirina ou outros analgésicos comuns, ou ainda antiinflamatórios;
  • Reduzir os efeitos prejudiciais de travamento ou rangido, por meio de um aparelho, algumas vezes chamado de placa de mordida ou “splint”. Este aparelho, feito sob medida para sua boca, se encaixa nos dentes superiores e ao deslizar sobre os dentes inferiores impede estes dentes inferiores de ranger contra os dentes superiores;
  • Aprender técnicas de relaxamento para ajudar a controlar a tensão muscular na mandíbula. Seu dentista pode sugerir que você procure condicionamento e aconselhamento para ajudar a evitar o estresse;
  • Quando partes da mandíbula são afetadas e os tratamentos não surtiram efeito, uma cirurgia na articulação poderá ser recomendada.
Odontologia estética

Odontologia Estética e Dentística

Odontologia Estética

É o ramo da odontologia que atua na área da cosmética e restauração dental. Entre outros serviços, os profissionais desta especialidade tratam de clareamentos dentário, uso de resinas diretas, peeling gengival, facetas e restaurações estéticas.O seu principal foco é a estética, ainda que a restauração de dentes também seja uma medida importante para a saúde individual, já que a permanência de cáries pode causar problemas a vários níveis, além de criar problemas na mastigação dos alimentos.

Pesquisa os vários tipos de preparações dentárias, a relação dos materiais restauradores com a estrutura dentária e o resto do organismo, técnicas restauradoras, etc. Tornando possível ao cirurgião-dentista restaurar de forma direta ou indireta a estética e a função dos dentes comprometidos.


Odontologia-Estética
  • Se preferir, ligamos para você!

Prótese Dentária em Brasília

Prótese Dentária

A prótese dentária (ou prótese dental) é o artefato que se propõe a substituir a função original dos dentes perdidos ou ausentes.

A Prótese dentária pode ser classificada como Prótese fixa unitária (elementos isolados), Protese Fixa com mais de um elemento (pôntico), Prótese Parcial Removível (P.P.R.) ou Prótese Total (P.T.).

O seu principal objetivo é a reabilitação bucal, em todas as suas funções: estética, fonética e mastigação.

Repõe ou Restaura de forma indireta (por meio laboratorial) os dentes, por meio de confecção de próteses fixas (coroas em metal, porcelana e materiais poliméricos e pontes) ou próteses removíveis como prótese total, a popular dentadura ou prótese parcial removível) popular ponte móvel; recentemente encontramos próteses modernas produzidas sobre implantes como overdentures, próteses fixas livres de metal (metalfree) e próteses protocolo.

Prótese Dentaria - DF
  • Se preferir, ligamos para você!

Tipos de Prótese Dentária:

Existem basicamente dois tipos de prótese dentária, que podem ser indicados para perdas parciais ou total dos dentes.

Prótese removível: o paciente tem a opção de retirar a prótese para higienização. 
Prótese fixa: uma estrutura é fixada ou encaixada em implantes ou dentes naturais.

No caso da prótese removível, exite a vantagem de retirar a prótese para a higienização e para dormir.

Já na prótese fixa, uma estrutura é parafusada ou encaixada em implantes e dentes naturais.